A missão dos políticos
É tarefa básica do governo garantir que os cidadãos tenham opções e espaços para desenvolvimento e encontros, num sentido metafórico e literal. Isso se dá, independentemente das nossas preferências políticas. As pessoas diferem umas das outras, e consequentemente seus ideais políticos diferem. Independentemente das diferenças, concordamos que os políticos devem se envolver com aquilo que as pessoas precisam para viver suas vidas com liberdade e dignidade. As várias políticas setoriais existem para servir a este propósito, e seus objetivos são derivados de objetivos políticos.

Mudança de responsabilidade
Entretanto, em muitas áreas, este princípio tem lentamente sido invertido na prática. As questões que muitos administradores se deparam têm se tornado tão complicadas que requerem especialistas para que estejam aptos a tomar uma decisão. A partir de suas experiências profissionais, estes experts têm a tendência de promover os objetivos ligados aos seus setores, embora estes derivem de objetivos políticos. Eles têm a tendência de não explorar o que seria possível servir aos objetivos políticos visando o mundo humano, e acabam por construir soluções que primariamente servem à sua própria área de interesse. Como um leigo, é extremamente difícil compreender a lógica interna de sistemas setoriais. Entretanto, um político não tem outra escolha senão a de aceitar a opinião dos especialistas.

Durante as últimas cinco décadas tais vínculos mantiveram-se fortes e coesos, impedindo outra forma de articulação ou apreensão do planejamento urbano [de Curitiba], como o participativo. Ao contrário, o caráter elitizado e pouco democrático de planejamento resultou na consolidação de uma cidade imperiosamente recortada, delineada e publicizada segundo interesses de um pequeno grupo, excluindo o restante da população de qualquer participação ou expressão.

Urbanismo em Curitiba – André de Souza Carvalho
Revista de Estudos Urbanos e Regionais /2013 da ANPUR

Multifuncionalidade de espaços públicos
Um espaço público acessível e atraente a idosos, pessoas com necessidades especiais e que forneça às crianças a oportunidade de explorar o ambiente imediato onde se vive, preenche um papel prático no processo de vinculação experimentado por essas crianças e demais pessoas. Para alcançar esse objetivo, é fundamental resgatar a multifuncionalidade dos espaços públicos que em muitos casos têm sido reduzidos a uma única função: deslocamento.

Calçadas do Brasil: Não há nada a comemorar!
Todas as doze capitais avaliadas ficaram abaixo da média mínima…

Relatório de Calçadas Brasileiras – 2013 – Portal Mobilize

 

Método holístico de trabalho
O conhecimento de muitas disciplinas deve ser combinado com o projeto do espaço – arquitetura, paisagismo, saúde pública, história cultural, sociologia, psicologia, engenharia de tráfego e uso da via. Juntas, elas podem contribuir para um bom resultado, porém isto requer uma forma diferente de se trabalhar, um método de trabalho holístico, e por esta razão, novas estruturas organizacionais.

Panorama Urbano
Neste contexto, a Cicloiguaçu desenvolve um trabalho de levantamento, acompanhamento e avaliação junto ao poder público contribuindo com a visão pluralista e em busca de um espaço urbano acessível a todos. Apesar do foco ser a ciclomobilidade, este diagnóstico serve de base para diversos outros projetos conduzidos pela CicloIguaçu com especialistas de diferentes áreas de conhecimento que visam construir espaço urbanos voltados para pessoas. Consulte as seções:

 


Veja todas as publicações sobre o assunto.